22/07/2010

Design para todos, outros nem tanto ... mas vale ver, pois mesmo passados anos de suas criações, ainda são um sucesso.

Para quem acha que o design é supérfluo, me diz como viver sem ele principalmente quando se trata de objetos e peças que fazem parte do nosso dia-a-dia, e cá pra nós, de uma maneira lindamente bem pensada e funcional?
Tudo bem que existem peças de design caríssimas, para poucos; mas existem outras que fazem parte de nosso cotidiano e é difícil viver sem. Em comum, elas têm o design exemplar e o "algo a mais" que as tornam atemporais.
HAVAIANAS -  Difícil viver sem elas, desde de que foram criadas à 48 anos atrás, caíram no gosto nacional. Inspirada na sandália japonesa Zori, feita com tiras de tecido e solado de palha de arroz, tinham um estigma popular, eram como um item da cesta básica. Hoje continuam sendo democráticas, só que, com suas cores e estampas deliciosas, elas ganharam o mundo e são associadas à simplicidade e ao mundo fashion.

CANETA BIC- Quem já não usou uma? A primeira caneta esferográfica nasceu em 1950 pelas mãos do húngaro László Biro. O modelo atual apresentava defeitos, como o vazamento de tinta, que foi corrigido pelo empresário francês Marcel Bich. Sob o seu comando, a caneta ganhou as características atuais, como o corpo transparente, o reservatório fino e a tampa colorida. Contudo, a  genialidade de seu design está nos pequenos furos em sua estrutura. Eles fazem com que a pressão atmosférica no interior seja a mesma do exterior do tubo, o que empurra a tinta para a esfera. Produzida no Brasil desde 1956, a caneta Bic é um dos objetos de design mais baratos do mundo.

POLO- Para os homens, ela é um curinga nas quadras, em um passeio vespertino, no trabalho ou em uma balada chic. Para as mulheres, é uma maneira de estar bem vestida com uma roupa esporte. A polo Lacoste nasceu em 1933, na frança, pelas mãos do tenista René Lacoste, logo após sua aposentadoria. Seu design privilegia os movimentos durante a prática esportiva, sem esquecer o conforto e a elegância. Originalmente branca, a camisa de piquê de algodão, hoje ganha cores e é copiada por várias outras marcas. O símbolo jacarezinho que decora a camisa original significa a ferocidade com que seu criador enfrentava os adversários.

CADEIRA THONET- Um clássico, muito confortável. Sua produção em massa nasceu em 1859, em Viena, Austria, por Michel Thonet. Seu design simples e funcional e econômico resistiu por décadas. A madeira envergada e o assento de palha sempre foram os trunfos da marca. além disto, o modelo de junções parafusadas permitia que a cadeira fosse montada e desmontada, o que facilitava a exportação. A peça passou a ser sinônimo de elegância e conquistou, além de casas, muitos bares e restaurantes ao redor do mundo. A empresa, sob o comando da quinta geração da família, ainda produz móveis assinados por Michel Thonet.

LUMINÁRIA TOLOMEO- Criada por Giancarlo Fassina e Michelle de Lucci, em 1987, para a marca italiana Artemide. Trata-se de um design reconhecido por importantes prêmios. A luz direta e articulável é um dos trunfos da peça meio clássica, meio high-tech.

Pesquisa- Casa e Jardim

2 comentários:

GIL disse...

Legal seu post, a briga é tão ferrada de hoje em dia, se não fosse o design.....bjks....com carinho...Gil

Milena disse...

Vi um programa outro dia que falava sobre o bonequinho da Michelin.Transformou-se em um ícone e é super antigo,mas com uma cara atualíssima.Acho que,se for um desenho bacana,se torna atemporal.
A TOLOMEU é minha preferida,adoro a de mesa.Quem sabe????
bjs