22/01/2011

14 dias em Pune


Só hoje, um mês após estar na Índia, é que estou tendo acesso `a internet. Como tenho um diário sobre a viagem, vou continuar escrevendo minhas impressões dos lugares onde estive.
Estou em Pune, na casa da minha filha, tudo aqui é diferente...acordo às cinco da manhã ao som de mantras vindo das casas vizinhas, cheiro de incenso, sinos tocando, vozes... durmo novamente.
 Pune é uma cidade grande, nesta época do ano a temperatura fica em torno de 20graus durante o dia e 12 graus `a noite. As vezes nem eu mesmo acredito que estou aqui. Devagar vou descobrindo esta cidade, uma cultura tão diferente que encanta e choca ao mesmo tempo.
Me encanta ver cachos de jasmins frescos presos nos cabelos das mulheres
Me encanta os saris coloridos, os acessórios dourados, a feminilidade e a força dessas mulheres. Me encanta vê-las fazendo a feira pela manhã e a tardezinha.
Me encanta e, ao mesmo tempo, me enjoa a mistura de cheiros.
Me encanta a culinária ( já conhecia muito dela ), doces e pães deliciosos, mas é preciso saber escolher.
Me encanta os contrastes... a diversidade... até mesmo a loucura do transito me encanta neste primeiro momento.
O jeito engraçado como os homens ( quase sempre vestidos com tons beges ) lançam longe jatos de cuspe salivantes e avermelhados, depois de mascarem uma espécie de fumo e também como andam abraçados, mãos dadas ou com os dedinhos entrelaçados...
Me encanta as lojas, as joalherias, os lenços de seda, os saris, as esculturas e tantas coisas mais...
Me estranha e muitas vezes me choca ver pessoas vivendo em condições sub-humanas... é de cortar o coração!
Me estranha o lixo, o esgoto e pessoas ocupando o mesmo espaço.
Me estranha ver que eles parecem não perceber a sujeira que está por toda parte.
Me estranha o fato de que pedestres não têm nenhuma prioridade ou direitos.
Me estranha o barulho ensurdecedor das buzinas.
Me estranha o fato de não haver uma consciência ambiental, ecológica.
Me estranha ver vassouras sem cabos.
Me estranha e, muitas vezes, até me divirte, ver como os homens têm prioridades, são servidos primeiro, são ouvidos, são mimados pelas mães e depois pelas esposas. Urinam pelas ruas sem o menor constrangimento.
Me estranha, mas também me encanta, ver como são habilidosos na arte de desviar.









Continuo amanhã!

8 comentários:

Cora disse...

Nossa que mundo novo este!
Fui visitar outro estado e já me senti em Marte, imagino você aí...deve estar vivendo um filme de Bollywood!!*))
Estarei aqui para ver o próximo post!
Abraços.

Sandra disse...

Me encantou o texto.

Aguardo ansiosa o próximo.

Maria Amélia disse...

Ai que legal seu relato, estou adorando. Minha amiga foi para lá há uns 10 anos e era assim mesmo. Não me esqueço dos relatos dela sobre os fios de energia emaranhados e a uma altura tão baixa que por vezes tinham que se abaixar. Sobre varrer o chão de cócoras, sobre o pastel para escorrer a gordura sobre o jornal, sobre o sanitário a céu aberto... Ela foi a um casamento e o macarrão era feito na hora por homens que ficam agachados sobre a mesa e quando precisou usar o banheiro descobriu que era ao ar livre, atrás de alguns carros. Mas ela ficou com a mesma impressão sobre os contrastes pois disse que os templos, as mulheres com suas jóias e tantas outras coisas eram lindíssimas. Deve ser um lugar que desperta muitas sensações ao mesmo tempo. Desculpe escrever tanto mas é que fiquei tão impressionada á época que não resisti comentar.
bjs
mamélia

Simony disse...

Parece uma viagem unica e maravilhosa! Qta. coisas nova p/ ver e descobrir.

Rafaela Marinheiro disse...

Nossa! Essas viagens são um aprendizado.
Beijos
www.casapraquetequero.blogspot.com

Jack disse...

Muito boa a sua experiência e melhor ainda a sua boa vontade em nos repassar. Eus te proteja nesse lugar!!!!

Regina disse...

Oi! Descobri o seu blog hoje e estou adorando tudo. As suas impressoes da India me fazem sentir que estou viajando. Uma vez quase que eu fiz uma viagem a India, mas nao deu. Vou voltar aqui breve para ler mais um capitulo.
Abracos.

Carol Carneiro disse...

Gata, que loucura!!! (loucura boa, viu?)Amei demais!!!quê isso...Sua filha e vc são corajosas, heim?Deve ser muito doido este lugar, né! trânsito intenso, masao mesmo tempo, numa parte da Índia, pessoas tão tranquilas, de bem com a vida...sem precisar de muito para serem felizes! Fantástico!Aproveite bastante esta oportunidade!bjs: Carol (blogcarolcarneiro.blogspot.com)